quinta-feira, 29 de julho de 2010

DESCASO TOTAL

Dia 08 de Julho de 2009, por volta das 20h00, mediquei minha filha Beatriz com um Probiótico receitado por uma Nutricionista, na condição de “aumentar a imunidade”.

Dei a dose prescrita no receituário e tudo parecia normal, passados vinte minutos (mais ou menos), Beatriz começou ficar incomodada, coração acelerado, começou a chiar fortemente e vomitou.

Estávamos a pouco mais de um mês em dieta de restrição ao leite de vaca e à soja, todos os sintomas haviam desaparecido, havia engordado 800 gramas e tudo caminhava super bem.

Fui ao inferno e voltei umas cinco vezes, minha primeira reação e, diga-se de passagem, ótima reação, foi medicá-la com cinco ml de predsim, cinco ml de Hixize, dois pufs de aerolin e correr para o telefone ligar para o médico.

Era uma quarta-feira, véspera de feriado em SP, estávamos radiantes, pois acabávamos de saber que tínhamos ganhado a liminar favorável do Neocate. Tudo veio por terra, tive que correr com minha pequena que ficou muito mal por 10 dias. Além dos sintomas respiratórios, três dias depois fez coco preto e com sangue.

Fiquei assustadíssima, pois se tratava de um Choque anafilático, sim minha filha teve seu primeiro choque anafilático.

A partir do choque reagiu a tudo e tivemos que reintroduzir alimento por alimento até chegarmos à dieta perfeita.

Entrei com um processo na ANVISA, pedindo a análise do produto, pois pode ter havido contaminação do produto por proteínas do leite de vaca, já que os lactobacilos do tal probiótico é presente em nossa micro biota intestinal, qual é passado por processo de purificação e cultivado novamente para se multiplicar.

Procurei durante meses incansáveis respostas para meus questionamentos, nada ou ninguém quis me ajudar.

Meses depois um anjo apareceu (Fernando), estudante de Nutrição em BH/MG e me passou alguns estudos a respeito dos probioticos.

Existem muitos e muitos casos de problemas com os probioticos (então chamado de alimento funcional), todos os problemas relatados são de pessoas com doenças auto-imunes, onde houve uma translocação bacteriana, mas nenhum relato de choque anafilático.

Porém existem estudos dizendo haver à possibilidade de choque anafilático por contaminação do produto ou por uma reação imune exagerada do nosso corpo, liberando uma quantidade absurda de histamina, podendo levar dessa forma ao choque anafilático, porém nenhum caso descrito.

Mandei esses estudos para a ANVISA, mas desde o dia 18 de setembro de 2009, que não recebo mais resposta alguma do órgão. Mando e-mails, faço ligações para Brasília, porém NINGUÉM me atende ou me escreve dizendo o que aconteceu com a análise do produto.

Ninguém se interessa pelo caso ou ao menos se mostra interessado em saber o que aconteceu.

Isso me causa uma tremenda revolta, pois vejo que o país que sirvo, que voto, pago meus impostos não dá a mínima para mim.

Vejo que houve um tremendo descaso sobre o ocorrido e que isso pode acontecer com qualquer pessoa.

Espero que tudo isso mude um dia e que de fato eu consiga descobrir o que aconteceu.

Para quem se interessar, tenho tudo por escrito.

Obrigada!

Um comentário:

  1. difícil deixar pra lá quando se está sendo julgada, eu não consigo não me defender! beijos e obrigada sempre pelas palavras de carinho!!!

    ResponderExcluir